Últimos assuntos
» You're not prepared
Qua Jan 04, 2012 2:13 am por shin

» De onde veio o seu nick?
Seg Dez 05, 2011 7:19 pm por Haruno Sakura

» Parabéns Ayaka!!!
Sab Nov 05, 2011 2:59 pm por SagaX

» Criei um pra mim tbm -Q
Dom Out 30, 2011 1:23 am por Hamikyo

» Joguinho novo! Vemk gente!
Sab Out 29, 2011 4:11 pm por Mimy-chan

» AEW!! O ENEM JA PASSOU
Ter Out 25, 2011 9:14 pm por Hamikyo

» O Oráculo do Kyohey!!
Dom Out 16, 2011 2:33 pm por Kyohey

» Esse cachorro desnaturado .. u.ú
Dom Out 16, 2011 1:41 pm por Kyohey

Navegação
 Portal
 Índice
 Membros
 Perfil
 FAQ
 Buscar
Parceiros
































Link-nos


Status

[Original] Italian Delivery - Prologo.

Ir em baixo

[Original] Italian Delivery - Prologo.

Mensagem por Fredo em Dom Jun 05, 2011 10:06 pm

copiarei de forma clichê a organização de outro post sem dar os devidos créditos! #sandydevassa


1. O texto abaixo não fará sentido com o título.
2. Eu sei, sou um péssimo escritor.
3. O barato é meu eu faço o que eu quiser.
4. Se você for um fanatico religioso cristão, não leia!
5. Não é Shaman King, não é Soul Eater, não é Bayonetta, é minha estória e acabou.
6. Eu já disse que o barato é meu e eu faço o que eu quiser?
8. Você nem reparou que eu pulei o "7".
9. Agora você olhou pra ver se eu pulava de novo o número.
10. Eu sou ateu, respeito quem tem religião, respeite então a minha falta de.
11. Terá leves cenas de erotismo, pelo menos 1 está garantida, se você tem problema com isso "sue me".

Italian Delivery

:.Prologo.:

É o ano de 1207. Período dominado por uma nova ordem religiosa, que apesar de ser tão jovem, era muito sólida e poderosa. O cristianismo pregava, nessa época, a Santa Inquisição. “Não permitirás que viva uma feiticeira". Com o Deus cristão no coração e a palavra da salvação na mente, a tão poderosa Igreja conseguiu formar um fiel e poderoso exercito de caçadores de bruxas.

Numa noite escura, é possível ouvir o som de sapatos batendo nas pedras da rua. Uma mulher vestindo preto corre pelas ruas como se fugisse de algo ou alguém. Não perde tempo olhando para traz, muito menos se preocupa com o barulho que está fazendo. Quanto mais corre, mais isolada da vila parece ficar.

Até que, finalmente, chega num casebre abandonado, pouco afastado da vila. Além de ratos e insetos, aparentemente, não havia nada. Puxando um pedaço da madeira, revela uma pequena passagem que leva a uma escadaria. Estava muito escuro, antes de descer as escadas, não se esqueceu de esconder novamente a passagem. Ao descer ela pode ouvir vozes e enxergar um pequeno feixe de luz iluminando o fim da rota. Ela desceu até encontrar um iluminado e cheio salão subterrâneo.

- Bruxas! Feiticeiras! Magas! Dêmonios! Quando que isso vai parar!? - Ouvia-se no salão

Em volta de um grande caldeirão as bruxas estavam todas com capas e vestes que cobriam quase que seus corpos por inteiro. Era possível ver apenas feições por debaixo dos capotes. Murmuros inciaram depois da fala. A bruxa que acabara de chegar senti-se deslocada por chegar no meio da reunião.

- Chega! – Diz outra bruxa – Não é possível sobreviver mais Scarlet! Os Templários aprenderam a fazer contratos e agora possuem espíritos que chamam de “Anjos” consigo! O poder desses tais “Anjos” se equilibra ao nosso!

Novamente murmuros tomavam o local. Discutia-se o poder dos Templários e, como um assunto leva a outro, a morte de bruxas poderosas.

- Acham que esqueci de Vicky? Lucy? Ursula? Touhi? Reajam! Eu não esqueci delas! As bruxas mais poderosas que eu já vi! Que todas nós vimos (!) e tivemos prazer de conhecer! Assassinadas pelas mãos da Igreja e seus malditos templários! Mas... – antes que pudesse terminar, Scarlet é interrompida.

- Mas? Sem mas!

Uma bruxa entra, lentamente, na sala.

- Mor-m-Morgana?! - Supreende-se Scarlet.

A bruxa ao tomar o silencio e toda atenção pra si remove sua capa e mostra bem o seu belo rosto tomado por uma cicatriz que vinha de debaixo do olho até a garganta passando por sua bochecha.

- Sim! E bem viva! Concordo com a jovem ali, Não é possível sobreviver mais! Conseguem imaginar como eu consegui essa cicatriz... E tive sorte de sair respirando do campo de batalha!

Todas caladas. Ninguém tinha ousadia de contradizer a bruxa tão poderosa Morgana.

- Eu sou a última da Ordem, as 5 bruxas mais poderosas deste continente! E os templários com tanto poder... é uma questão de tempo até a morte vir nos buscar! Eu proponho que iniciemos aqui mesmo o ritual para trazer Asutaroto!

- Asutaroto!? -Exclamavam as bruxas – Mas ele não pode ser controlado! - Continou Scarlet – Ele matará a todos!

Um estranho sorriso tomou o rosto de Morgana.

- Mas não é exatamente isso que queremos? Asutaroto matará a todos, de fato! Exterminará os Templários, sacerdotes, padres e ate mesmo o Deus deles!
Mas Morgana, quem será – E Scarlet é novamente cortata pela ríspida voz de Morgana – Eu, Scarlet. Você tem poder para liderar o ritual. Eu tenho um corpo forte para sustentar nosso perverso deus em mim!

Scarlet numa forma de respeito, esperou até que Morgana terminasse para apontar seus argumentos:

- Morgana (!) Você mesma disse, que é a última das 5 bruxas. Se você se tornar o sacrifício não haverá amanhã para nós! Pereceremos diante o poder dos templários ou de Asutaroto!

- Scarlet... Você não consegue enxergar o ponto aqui. Vamos morrer de qualquer forma! Não desejaria pelo menos lutar antes de morrer?

Antes que pudesse responder, Vários passos são ouvidos. E, do corredor que leva a escadaria saí um velho sacerdote magrelo e pálido acompanhado de grandes e fortes guerreiros.

- Huhuhuhu! De fato... "Morena", certo? - Ficou evidente o erro proposital do padre - Vocês vão sim morrer (!) e é uma pena que não vão ter nem chance de lutar! Mwahahaha!

Tentaram reagir, mas os fortes guardas, eram, na verdade templários estavam muito bem acompanhados de seus respectivos anjos.

- Podem Matá-las aqui mesmo! Só lembrem de deixar 5 ou 6 vivas para levarmos a fogueira em praça pública! Huahauhauhauhua! - Riu sadicamente o sacerdote.

As bruxas eram poderosas, mas não foram capazes de lutar contra. Morreram muitas delas, mas Scarlet e Morgana sobreviveram até o dia seguinte, para serem executadas. Antes de morrerem, Morgana e Scarlet, juntamente com as outras bruxas prestes a morrer, praguejaram uma magia profana e proibida, jurando, um dia renascer e se vingar.




Eu avisei, você leu por própria conta e risco.
Pressinto uma treta em meados da estória...
avatar
Fredo
Zombie
Zombie

Masculino Mensagens : 145
Data de inscrição : 10/05/2011
Idade : 28
Localização : Overworld Map

Ver perfil do usuário http://working4fun.wordpress.com/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Original] Italian Delivery - Prologo.

Mensagem por mikaero em Ter Jun 07, 2011 11:10 pm

Já li e já te disse o que achei! Estou postando aqui só para mostrar meu interesse nessa história tão old, mas renovada! Espero que os próximos capitulos você capriche e não me dê tanta coisa para corrigir a meia noite!

BTW Cool Story Brô
avatar
mikaero
Vampire
Vampire

Masculino Mensagens : 308
Data de inscrição : 09/05/2011
Idade : 26
Localização : Inferno

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Original] Italian Delivery - Prologo.

Mensagem por Fredo em Seg Jul 18, 2011 4:06 pm

:.Capítulo 01.:

Dias atuais, mais precisamente, numa sexta-feira a noite. As pessoas da cidade estavam curtindo o começo de mais um fim de semana, deixando bares, restaurantes e boates cheios. Só mais um dia normal de sexta-feira a noite.

Sendo assim, as ruas do comércio estavam vazias. Prédios imponentes e antigos estavam inteiramente vazios. O vento uivava forte e nessa hora, dois vultos extremamente rápidos, correm para dentro de um dos prédios. Eles eram profissionais, quase não se dava pra ouvir seus passos e sussurros. Alguns minutos se passaram, se existisse alguém nas ruas, seria capaz de jurar que não havia nada de errado. Mas o silêncio da calada da noite antecipa uma grande explosão no segundo ou terceiro andar daquele prédio.

Os vultos pularam daquela altura em meio a explosão. Fato digno de um filme de ação. Cortaram os cabos que os prendia, e correram desesperadamente para um beco escuro. No caminho, ambos começaram a jogar seus equipamentos no chão, pouco a pouco revelavam sua imagem, se não fosse a falta de iluminação. Dava pra notar apenas, que se tratava de um homem e uma mulher, e que carregavam algum tipo de objeto. Do tal beco, o barulho de moto ecoa, e assim as sirenes.

Dirigem como se estivesse tudo na mais perfeita ordem. Até que são obrigados a passar por uma barreira policial. Lá o policial examina o casal. Um Homem que aparenta ter seus 25~27 anos, barba por fazer e com cabelo loiro escuro um tanto longo com um curto rabo de cavalo. E uma mulher na mesma faixa etária, com um belo rosto, pele pouco escura, grandes curvas e um longo cabelo preto.

O policial acende um charuto, pergunta, dando baforadas, se viram algo estranho pelo perímetro. O rapaz um pouco nervoso, tenta explicar, só que a cada palavra fica mais evidente que há algo suspeito.

Não senhor! Não vimos nada estranho, no caminho pra cá ouvimos, o que parecia um tipo de explosão, mas não vimos fogos no céu, foi um tanto estranho. - Diz a bela mulher enquanto fazia sinais para que o policial acendesse seu cigarro.

O policial nota o estranho sotaque de ambos. Não pareciam ser italiano. Flertado pelo poder de sedução da mulher, Pergunta seus nomes e países de origem.

- Meu nome é Petter Hartmann, sou alemão...
- Sou Melissa Rocha, venho do Brasil!

Ambos conseguem perceber o brilho no olhar do policial quando, a então, Melissa diz que veio do Brasil.

- Brasil huh? - Antes que o policial continuasse, é cortado pela Melissa:
Senhor, estamos com pressa! Precisamos entregar esta pizza, que parece estar esfriando!

O Policial não foi capaz de perceber que ambos usavam um uniforme de restaurante, seus olhos estavam ofuscados pelas apelação sexual que a brasileira tinha. Então, sem revistar a mala de delivery, o policial os deixa passar.

O nervosismo de Petter é aliviado, que começa então a acelerar sua moto. Durante o caminho discutem ferozmente um com o outro sobre o ocorrido:

- Caralho Petter! Você tem que aprender a controlar o Salamandro!! Uma explosão daquele tamanho não nos matou por pouco!

- Caralho digo eu! Sua vadia! Quem disse que precisava de mais do que um C4?! Espalhar C4 por aí só podia resultar naquilo! Tá achando que isso aqui é CS?

- CALA A BOCA! Se não fosse meu todo poderoso charme aquele guarda tinha pego a gente!

- AH CLARO! Só faltou puxar mais o decote e fazer uma dancinha no colo pra terminar o serviço!

- Você devia me agradecer! Se não fosse meu belo corpo, você estaria sendo preso agora! O Policial estava na minha mão, e você só disse merda, quase caguetou a gente!

E a discussão continuou até que fosse possível ver um restaurante. Bella Napole, estava escrito nos letreiros. Estranho o fato de estar vazio em plena sexta-feira. Estacionaram a moto, pegaram a mochila e levaram para a cozinha.

- Oh! Olha quem chegou! - Falou com um tom provocativo - Conseguiram o Vaso?
Se tratava de Naoto, um japonês um tanto velho, com seus 50~53 anos de idade. Magro, sempre com um sorriso falso estampado no rosto, e cheio de vontade de sacanear. Estava bem vestido como sempre.

- Chefinho querido do meu coração~ - Tentativa falha de seduzir Naoto por parte de Melissa

- O que ou quanto você quer Melissa? - Fala Naoto com uma cara de desconfiança

- EU quero que você dê juízo a essa mulher, Naoto. Ela espalhou C4 no grande museu e ainda disse o qual seria legal explodir com o Salamandro!

- Orly? - exclama sacarsticamente Naoto.

- Mas...- e antes que fosse possível começar qualquer discussão, uma outra figura entra em cena.

Todos se calaram diante a presença intimidadora do Malone. Um cozinheiro grande e gordo. Ele nem precisou falar nada, seu rosto já dizia tudo. E tudo significava pra deixar de conversa mole e briguinhas e começar a falar de negócios.

Abriram a mochila. Ainda sobraram alguns C4, duas pistolas, um revólver, 5 granadas de mão, munição, óculos de visão noturna, metade de uma pizza e o tão experado item. Eles o desembrulham com todo cuidado. Malone busca por alguma rachadura ou imperfeição que o vaso poderia ter adquirido com a viajem, que, já sabia, que não foi nada pacífica.

Perfeito, embrulham novamente. Naoto pergunta quanto querem pelo serviço. Mesmo morrendo de dor no bolso pagou o valor que pediram. Dispensou Melissa e Malone. E acompanhou Petter até sua sala.

Lá começaram uma conversa um tanto séria.

- Salamandro ainda continua arranjando confusão? - Diz Naoto.

- Sim, é o único espirito elemental que eu tenho. No contrato ele exigiu poder explodir qualquer coisa ao...

- Ao ser invocado. De fato. Amanhã você irá para esse endereço. - Naoto joga um bilhete na mesa – É um exorcismo. Esteja lá e, para sua própria segurança, não use o Blaze.

- Quero 8 por isso. - Fala depois de dar uma boa golada na gelada cerveja.

- Mercenário! – Sussura Naoto.

- Mão de vaca! – Tosse Petter.

avatar
Fredo
Zombie
Zombie

Masculino Mensagens : 145
Data de inscrição : 10/05/2011
Idade : 28
Localização : Overworld Map

Ver perfil do usuário http://working4fun.wordpress.com/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Original] Italian Delivery - Prologo.

Mensagem por Kyohey em Seg Jul 18, 2011 6:59 pm

nem li pq sou um fanatico religioso cristão hehehehehhehe


(num to zuando não, mais num arrumo briga por causa disso não)

Bom texto gostei melhor q todos os testos q ja tentei escrever na minha vida
avatar
Kyohey
Zombie
Zombie

Masculino Mensagens : 172
Data de inscrição : 23/06/2011
Idade : 24
Localização : comendo bife na frente da casa da Ayaka( na minha casinha)

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Original] Italian Delivery - Prologo.

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum